sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A foto esperando a Nath...

*
Engraçado... eu quis tanto essa foto... perguntei tanto por ela... foi tirada na noite de Natal de 96... a única vez em que fui fotografada grávida da Nathália... Quem fotografou foi minha prima Jussara, mas aí ao longo do tempo perdi o contato com ela, só via sua mãe e seu irmão, pra quem eu sempre pedia a foto, e eles nem sequer se lembravam do momento... momento que eu nunca esqueci... me lembro de quando tirei essa foto, mas acho que como nunca a tinha visto, me esqueci de tudo, absolutamente tudo de ruim que passei nessa época...  Nada a ver diretamente com a Nath... acho que saber da existência dela e esperar por sua chegada era uma das minhas poucas alegrias... foi o contexto, foi a rejeição que sofri, enfim... tanta coisa... tanta coisa... 

Enfim... e tanta coisa veio a tona quando vi essa foto pela primeira vez... me lembrei de cada noite chorando sozinha... e eu chorei tanto sozinha... cada dia vendo as pessoas à minha volta me olharem com indiferença, como se eu fosse uma aberração da natureza... cada consulta de pré-Natal totalmente desacompanhada... meu Deus... eu era só uma menina... uma menina grávida que passou quase toda sua gestação desprezada... deixada de lado... foi difícil e hoje me pego pensando como posso ter dado conta de tudo com só 14 / 15 anos de idade... e confesso que veio um sentimento de revolta com as pessoas que faziam parte da minha vida, sabe?! Como puderam me tratar com tanta indiferença e aí a partir do nascimento da minha filha se tornarem as pessoas mais amáveis e presentes possíveis?

Nossa... foi doído ver essa fotografia... mesmo... o que trouxe um pouquinho de paz e fez o sentimento de dor e revolta (por relembrar esses momentos difíceis) desaparecer, foi olhar em volta e ter a certeza de que passou... ficou pra tras... que hoje eu não estou mais sozinha, tão pouco desprezada ou ignorada... que ao meu lado tenho um marido presente, que me ama e muito e que jamais me deixou à míngua... e principalmente... ter a certeza de que a recompensa foi maior do que toda a dor... porque a minha filha é um tesouro imensurável... uma jóia raríssima, que alegra meus dias, que me raz rir quando eu tô meio de mau-humor... que me estressa também de vez em quando, mas que deixa a minha existência mais florida...

 Prometi no grupo Sublimes Mães, há um bom tempo, que se um dia conseguisse a fotografia, mostrava no grupo... então vou aproveitar o momento de desabafo através do blog e mostrar a foto por aqui mesmo!

É isso... um bom fim de semana, queridas!!!

P.S. Se houver algum erro de português me perdoem... se puderem relevar, agradeço... não quis reler ^^

P.S. 2. Eu pesava 56 kilos na época dessa foto... grávida de quase nove meses completos... hoje peso 66 kilos e não espero por nenhum rebento... OHHHHHHHH VIDA CRUEL... CRUEL... CRUEL... CRUEL!!!!!