quinta-feira, 22 de julho de 2010

Aquele sobre meu nome não ser Johnny

**
Parecer aqui uma pessoa chata vai depender da sua capacidade de compreensão... ainda assim, resolvi arriscar e escrever este post, porque todas as outras coisas que eu podia fazer a respeito eu já fiz e até contei com ajuda de amigas, sem nem precisar pedir, que se sentiram mal diante da minha angústia...
Pra mim, apelidos nunca foram problemas... aliás, já tive vários, e como todo apelido, os meus sempre se referiam a uma característica física ou de personalidade da qual eu não me orgulhava muito... mesmo assim, apelidos nunca me incomodaram...

Os escolares:

Bruxa do 71 - Ganhei esse apelido na primeira série do ensino básico (antes era chamado de primário), por alguns garotos que estudavam na mesma sala que eu, no Colégio do Liceu Acadêmico São Paulo... o apelido perdurou até eu sair da escola (não por causa disso, na verdade eu mudei de cidade e por isso, consequentemente de escola)... sim, esse apelido fazia menção à personagem "Dona Clotilde" de Chespirito e me chamavam assim pelo mesmo motivo que Chaves e sua turma chamavam Dona Clotilde assim... eu era muito feinha quando criança, tinha, de fato, um aspecto meio assustador... eu só não morava na casa de número 71... mas isso não importava, importava que compreendessem o por que do apelido e isso se compreendia bem... e de fato, mesmo na época, o apelido nunca me incomodou e me abandonou em 1989, quando eu abandonei o Colégio do Liceu Acadêmico, bem como a cidade de São Paulo...


Chaveirinho - sempre fui muito baixinha e no ensino fundamental ganhei esse apelido de chaveirinho... bem como outros na mesma linha de provocação (mascote, toco de bater sola, pintora de rodapé, etc)... sinceramente nada disso me provocava... aliás, eu achava "chaveirinho" até bonitinho, rsrs... não sei dizer bem quando pararam de me chamar assim... na verdade essas coisas meio que vão se desfazendo no vento, quando não tem nenhuma importância ou valor sentimental...

Preta (nêga, neguinha, pretinha) - Uma associação da minha cor com a lambada do Beto Barbosa... "Preta, fala pra mim... fala o que você sente por mim, oi oi oi oi"... Em final de 80, começo de 90, a lambada era um hit... todas as crianças e muito adultos gostaram, dançaram, aplaudiram, apesar de nos dias atuais, poucos admitirem isso... bem, eu não tenho vergonha nenhuma de ter gostado de dançar lambada um dia... e eu dançava muito, então sempre que tocava essa música a galera da escola lembrava de mim... e aí pegou o preta e derivados (pretinha, nêga, neguinha)... dos apelidos que eu tive foi o que eu mais gostei... primeiro porque nunca senti que ser chamada de "preta" era uma forma de racismo (se o branco é branco, o japonês é amarelo e o índio é vermelho, qual é o problema de o preto ser preto?) e segundo porque dançar lambada era algo que eu gostava... então foi o único apelido que tive, que não fazia menção à alguma característica física ruim e marcante (como ser feia ou ter pernas de perereca de cana)... algumas pessoas ainda me chamam assim... mas também foi um apelido que se perdeu com o passar do tempo...

Os Familiares:
Midi-grilo - não faço a menor idéia do que seja um midi-grilo (nem sei se é assim que se escreve)... meu tio materno me chamava assim por eu ser muito magra, ter as pernas muito finas... até hoje não consegui constatar se um midi-grilo é mesmo magro e de pernas finas, visto que não consegui descobrir do que se trata... também nunca me incomodou e eu sinceramente não sei por que meu tio parou de me chamar assim...

Perereca de cana - meu avô me chamava assim... esse apelido é por causa das rãs da família das racoforídeas... aquelas pererequinhas com pernas finas e compridas que quando pulam parecem voar... como essas pererecas têm facilidade de se segurar em galhos, troncos, folhas, etc., é fácil encontra-lás em plantações de cana, e em Uberaba-MG, minha cidade Natal e onde vivo desde os meus 9 anos de idade, o que não falta é plantação de cana... por isso aqui são conhecidas como "pererecas de cana" e eu fui uma por um bom tempo... também não me incomodava e eu também não me lembro quando exatamente meu avô deixou de me chamar assim...


Esses foram os apelidos que eu tive na vida e que nunca me incomodaram... ter um apelido é algo que não se escolhe... as pessoas escolhem por você... e ainda se tratando de relacionamentos em escola de ensino infantil, básico e fundamental, aí é que a coisa foge ao controle mesmo... acho que por isso eu não ligava pra eles... de certa forma acho que eu sabia que eles seriam passageiros...

Por isso eu digo que não é de apelidos que falo nesse post... apelido é algo completamente diferente do nome, na minha opinião, quando você reduz, aumenta ou modifica o nome de uma pessoa, isso não é apelido... é variação, abreviação, diminutivo ou derivado e isso sim me incomoda e por dois motivos:

1- Por mais que "Ranne" soe um nome estranho pra você, esse é o meu nome e eu sinceramente gosto muito dele... ele tem uma história familiar, e isso faz dele importante pra mim... então, só por achar o nome "Ranne" esquisito ou feio, isso não dá a ninguém o direito de modificá-lo por conta própria... o meu nome é "Ranne"...

2- Se pra você "Ranne" é um nome esquisito... pense em qualquer variação sobre ele e aí sim vai se deparar com o ápice da esquisitice... I'm sorry... mas "Ranne" não combina com diminutivo, abreviação, prefixo, sufixo ou variação... qualquer coisa que se colocar ou tirar de "Ranne" vai deixar a coisa dramática, indigesta e intragável... e eu me sinto muito mal quando sou chamada por qualquer dessas variações... meu estômago chega a gritar de dor e a primeira coisa que penso é: "não estão falando comigo, porque essa não sou eu"...

Portanto, este post foi simplesmente para pedir às minhas queridas amigas e amigos virtuais (porque os amigos reais nunca me chamaram de nenhuma esquesitice assim), que por favor não modifiquem o nome "Ranne" ao me chamar... eu tenho certeza de que a maioria das que fazem, o faz como forma de carinho... mas estou sendo franca e sincera... não soa carinhoso pra mim... soa feio e essa é a realidade: eu não gosto de ser chamada de "Rannoca", "Ranneca", "Rannita", "Rannóide", "Rannuda", "Ranneira", "Ranninha" e muito menos de "Rã" (independente de eu já ter sido uma perereca de cana)...

E se você é um/a dos/as que me chamam assim, não precisa dizer nada... não precisa me procurar pra se desculpar, não precisa se sentir mal, não precisa me achar chata, não precisa ficar de mal de mim, não precisa cometer suicídio e muito menos se lamentar por isso... a única coisa que você precisa fazer é parar de me chamar por essas variações horrorosas do meu nome

Apelidos serão sempre bem vindos... variações, derivados, diminutivos, abreviações e afins não serão...

Bem... não me faz bem ficar pedindo insistentemente pra não ser chamada por essas variações, portanto, será a última vez que farei... a partir de agora eu decidi simplesmente não responder mais!

É isso... e se eu pareci chata pra você me perdoa... mas é muito ruim a gente se sentir incomodada e é o que acontece comigo, toda vez que leio um RANNOCA, se referindo a mim!

"Meu nome não é Johnny, meu nome é João Estrella"

Bjs